Os Transtornos de Personalidade se subdividem em três grupos:

Grupo A, Grupo B e Grupo C.

Faz parte do Grupo A, os seguintes transtornos: Transtorno de Personalidade Paranóide, Transtorno de Personalidade Esquizóide e Transtorno de Personalidade Esquizotípica.

Ao Grupo B pertencem: Transtorno de Personalidade Anti-Social, Transtorno de Personalidade Borderline ou Limítrofe, Transtorno de Personalidade Histriônica e Transtorno de Personalidade Narcisista.

Já no Grupo C, podemos encontrar: Transtorno de Personalidade Esquiva, Transtorno de Personalidade Dependente e Transtorno de Personalidade Obsessivo-Compulsiva.

De acordo com o DSM IV, Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, estes transtornos seguem um padrão persistente de vivência íntima ou comportamento que não se encaixam na expectativa da cultura do indivíduo, é ainda invasivo e inflexível. O início dá-se  na adolescência ou começo da fase adulta, provoca sofrimento e é estável ao longo do tempo.

Os indivíduos que se encaixam no Grupo A frequentemente parecem ser esquisitos ou excêntricos, os do Grupo B dramáticos, emotivos ou erráticos e no Grupo C  eles parecem ansiosos ou medrosos.

Vejamos mais especificamente cada Transtorno de Personalidade:

Grupo A:

  • Transtorno de Personalidade Paranóide: Os critérios para o diagnóstico são 7 e destes, é preciso que o sujeito tenha no mínimo 3 deles: 1 – suspeitas sem fundamentos suficientes; 2 – ter dúvidas infundadas acerca da lealdade das pessoas; 3 – relutar em confiar nos outros, pois acredita que as informações podem ser usada contra ele; 4 – sempre interpreta significados ocultos e ameaçadores às coisas; 5 – guarda rancor persistentemente; 6 – todo “ataque” é direcionado a ele;  7 – crê que sempre está sendo traído na relação amorosa.
  • Transtorno de Personalidade Esquizóide: Em relação a este transtorno também é necessário que o indivíduo possua ao menos 3 destas características para se enquadrar: 1 – não tem relacionamentos íntimos (como amigos, namorado, família etc); 2 – quase sempre opta por atividades solitárias; 3 – tem pouco ou nenhum interesse em experiências sexuais; 4 – tem prazer em poucas atividades; 5 – não tem amigos íntimos; 6 – mostra-se indiferente a críticas e elogios; 7 – demonstra frieza ou distanciamento afetivo.

 é preciso dizer que esta patologia não é a Esquizofrenia, mas as características são as mesmas do início desta. A Esquizofrenia possui três fases: 1ª prodrônica (que é o início da doença), 2ª ativa (aparecem os sintomas psicóticos, ou seja, as alucinações e delírios) e finalmente 3ª residual (desaparecem os sintomas psicóticos acima mencionados, estão brandos ou atenuados). O Transtorno de Personalidade Esquizóide não apresenta delírios e alucinações, este é o ponto diferencial.

  • Transtorno de Personalidade Esquizotípica: É necessário que a pessoa portadora deste transtorno possua pelo menos  5 das características abaixo apresentadas: 1 – idéias de referência (o sujeito se considera uma referência); 2 – crenças bizarras ou pensamentos mágicos (ex: comportamentos superticiosos, sexto sentido etc); 3 – experiências perceptivas incomuns (ex: sentem que seus orgãos internos estão se desfazendo, apodrecendo etc); 4 – pensamento e discurso bizarros; 5 – desconfiança ou ideação paranóide (sente-se perseguido); 6 – afeto inadequado (ex: bater em quem tenta o abraçar etc); 7 – aparência ou comportamento esquisitos; 8 – não tem amigos íntimos; 9 – apresenta ansiedade social.

Grupo B:

  • Transtorno de Personalidade Anti-Social: o nome deste transtorno foi recentemente alterado, antigamente o sujeito era conhecido como psicopata ou sociopata. Dos 7 critérios necessários para que se caracterize este transtorno, é preciso que se evidencie pelo menos 3: 1 – incapacidade para se adequar às normas da sociedade (comportamentos ilícitos); 2 – propensão para enganar outras pessoas; 3 – incapacidade para fazer planos para o futuro (este sujeito é muito impulsivo); 4 – comportamento de irritabilidade ao extremo (chega a partir para luta corporal); 5 – não respeita a segurança própria e de outros; 6 – tem comportamento laboral irresponsável (ex: não consegue honrar horários no trabalho); 7 – ausência de remorso. Acontece mais com homens do que com mulheres.
  • Transtorno de Personalidade Borderline ou Limítrofe: Esta patologia se encontra entre a neurose e a psicose. De 9 critérios, são necessários no mínimo 5 para o diagnóstico: 1 – faz esforço para evitar a sensação de abandono que sente (real ou imaginária); 2 – relacionamentos interpessoais instáveis (ele idealiza alguém e depois o desvaloriza e vice-versa);  3 – perturbação da identidade (instabilidade da auto-imagem e self); 4 – impulsividade em pelo menos duas áreas importantes de sua vida (amorosa, trabalho, estudos etc) (ex: gasta muito dinheiro, usa drogas etc); 5 – gestos e ameaça suicida (ex: auto-mutilação); 6 – instabilidade afetiva devido acentuada reatividade do humor; 7 – sentimentos crônicos e vazios; 8 – raiva inadequada (dificuldade para se controlar); 9 – ideação paranóide. É comum haver comorbidade com Episódio Depressivo Maior, Transtorno Distímico ou Transtorno de Ansiedade.
  • Transtorno de Personalidade Histriônica: Está relacionado à Histeria, e antigamente até era conhecido como Personalidade Histérica. É preciso 5 critérios destes abaixo para que o sujeito seja diagnosticado com esta doença: 1 – sente-se desconfortável quando não é o centro das atenções; 2 – sua relação com o outro é estabelecida com um comportamento sedutor e provocante; 3 – é superficial em suas emoções; 4 – utiliza a aparência física para chamar a atenção para si; 5 – seu discurso é imprecionista (gosta de imprecionar); 6 – é dramático;  7 – é sugestionável (facilmente influenciado pelos outros e circunstâncias); 8 – considera os relacionamentos mais íntimos do que na verdade são.
  • Transtorno de Personalidade Narcisista: São indivíduos extremamente egoístas, auto-absorvidos e possuem sentimento de grandiosidade. 5 destes critérios é preciso neste transtorno: 1 – sentimento de grandiosidade em relação a si próprio; 2 – preocupação com fantasia de ilimitado sucesso; 3 – crença de sempre se achar especial; 4 – auto-admira-se excessivamente; 5 – presunção; 6 – tira vantagem alheia para alcançar seus próprios objetivos; 7 – não consegue se colocar no lugar do outro; 8 – senti inveja ou acredita que é alvo de inveja; 9  – comportamento arrogante ou insolente.

Grupo C:

  • Transtorno de Personalidade Esquiva: São pessoas inibidas, introvertidas, ansiosas e com auto-estima baixa. Pode apresentar comorbidamente Fobia Social. Dos 8 critérios a seguir, é preciso que o sujeito se encaixe em pelo menos 4 deles: 1 – evita atividades ocupacionais que envolva relacionamentos interpessoais; 2 – demora para se envolver com outras pessoas; 3 – é reservado em seus relacionamentos íntimos; 4 – tem medo de críticas; 5 – sente-se inibido sem situações interpessoais; 6 – vê-se como inapto socialmente; 7 – possui dificuldades em assumir riscos pessoas.
  • Transtorno de Personalidade Dependente: Pais super-protetores geralmente criam filhos que possuem esta patologia. É preciso que esta pessoa tenha no mínimo 5 critérios dos seguintes: 1 – dificuldade em tomar decisões diárias (precisa da aprovação alheia); 2 – necessidade de que os outros assumam responsabilidades que seria sua; 3 – dificuldade de iniciar projetos ou fazer coisas por conta própria; 4 – dificuldade em expressar discordância dos outros (possui medo de perder a aprovação e o apoio dos outros); 5 – vai a extremos para obter carinho e apoio; 6 – incapacidade de cuidar de si quando está só, pois sente-se desamparado; 7 – busca no relacionamento carinho e amparo (pode chegar a fazer novos relacionamentos rapidamente para não ficar sozinho); 8 – preocupação irrealista de ser abandonado, deixado a própria sorte. Há possibilidade de haver comorbidade com Transtornos do Humor e Ansiedade. Dá-se mais em mulheres do que em homens.
  • Transtorno de Personalidade Obsessivo-Compulsiva: Devemos também frizar que este não é o Transtorno Obsessivo-Compulsivo. Esta pessoa acredita que sempre está certa e seu comportamento é o mais adequado. Dos 8 critérios abaixo, é preciso que haja pelo menos 4 deles: 1 – preocupação extrema com detalhes; 2 – é perfeccionista na conclusão de tarefas; 3 – é extremamente devotado ao trabalho e produtividade; 4 – tem inflexibilidade de moral (muito moralista); 5 – guarda vários objetos que não utiliza; 6 – é relutante em delegar tarefas para outros (apenas se for do jeito que ele considera correto); 7 – adota postura miserável em relação a dinheiro, mesmo que tenha alguns privilégios financeiros; 8 – é teimoso e rígido. O diferencial do Transtorno Obsessivo-Compulsivo é que este sujeito não pratica atos repetitivos, ou seja, compulsões.

Se você se encaixou em alguns destes transtornos ou conhece alguém que se encaixe, não se desespere, infelizmente quase ninguém escapa deles, mas procure a ajuda de um profissional, ok?

Anúncios

Comentários em: "Transtornos de Personalidade" (1)

  1. […] Ela possui Transtorno de Estresse Pós Traumático com comorbidade do Transtorno Factício e Amnésia Dissociativa. Já o bandido tem Transtorno de Personalidade Anti-Social. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: