Posts marcados ‘Conselho Regional de Psicologia’

Simpósio Online

As inscrições para este evento estão encerradas, no entanto, ainda dá pra assistir online.

Acontecerá dia 16.03 a partir das 08:30.

Programação:

8:00 Entrega de Material e Coffee
8:30  Abertura do Evento
9:30  MESA 01 – Políticas para a Educação Brasileira: Inserção da Psicologia e Reflexos na Formação.
12:00 INTERVALO PARA ALMOÇO
13:30 MESA 02 – Politicas de Avaliação do Ensino Superior e as Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Psicologia.
15:00 Breve intervalo para COFFEE
15:15 Oficinas sobre modulações curriculares com inserção da Licenciatura.
17:30 Plenária
18:30 Encerramento

Para assistir clique aqui.

Maiores informações.

Seminário: Racismo e Sofrimento Psíquico

“Com o objetivo de estabelecer de forma mais contínua e constante uma agenda sobre a relação da Psicologia com as questões étnico-raciais, o CRP SP promoveu o Seminário Racismo e Sofrimento Psíquico – Desafios para a Psicologia e para os(as) Psicólogos(as). A atividade pretende iniciar uma ampla discussão com a categoria e a sociedade sobre aspectos que envolvem a saúde da população negra, bem como, as conseqüências do racismo em todas as dimensões da vida desta população”.

Clique aqui e assista ao Seminário que aconteceu no dia 07.12.2011

“Cracolândia”

O que o Conselho Regional de Psicologia disse sobre esta ação:

“A ação policial, chamada de Ação Integrada Centro Legal e que está sendo realizada desde o dia 2 de janeiro, foi classificada pelos parlamentares presentes de “tresloucada”, “cruel” e “covarde”. “O que está acontecendo na região é uma tortura sistemática, contínua e permanente. Essa é uma ação criminosa praticada pelo Estado. É preciso que haja ações éticas, inteligentes e humanas: implementação de uma rede com Consultórios de Rua, Internação para casais e CAPS AD”, defendeu o Padre Júlio Lancelotti, coordenador da Pastoral dos Moradores de Rua.

Nos últimos dias, os principais jornais da capital paulista publicaram informações que comprovam que a cidade não possui uma rede efetiva de atendimento aos usuários que desejam se tratar. Ou seja, não há vagas necessárias para o número de pessoas que as procuram. Reportagem veiculada em 10 de janeiro pela Folha de S.Paulo, relata que usuários que buscaram tratamento esperaram por horas até a internação. A maioria desistiu. Enquanto a polícia militar reforça, em imediato, o número de policiais presentes na região, contando com o reforço até da Rota, o complexo de atendimento da prefeitura aos usuários ficará pronto apenas em março. A ação na cracolândia começou sem que houvesse nenhum tipo de centro que acolhesse os usuários retirados das ruas.

O coordenador do Núcleo Especializado de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria de SP, Carlos Weiss, afirmou que a operação policial na região central viola o direito dos cidadãos. “Somos favoráveis à soluções que busquem o bem estar da população. Mas não podemos compactuar com situações em que a segurança pública se distancia dos direitos humanos”, ponderou. A Defensoria está com um posto móvel na região e vem recebendo diversas denúncias de violações. Uma delas é de uma menor de idade, que foi atingida por um tiro de borracha na boca, o que gerou boletim de ocorrência como crime de tortura.

Ao final da audiência, alguns encaminhamentos foram tomados. A Comissão de Direitos Humanos da Câmara vai cobrar explicações do prefeito e governador de São Paulo sobre a ação; parlamentares e entidades presentes na audiência, irão redigir um documento e encaminhá-lo ao Executivo municipal e estadual, exigindo a suspensão imediata das atividades policiais; haverá também a criação de um fórum com todas as entidades envolvidas para discutir problemas e ações comuns; todos os documentos e notícias divulgadas sobre a ação da polícia na região também serão encaminhados aos órgãos nacionais e internacionais de defesa de direitos humanos.

Os movimentos sociais e entidades também estão se mobilizando contra a ação. Neste sábado, 14 de janeiro, a partir das 14h, o coletivo DAR (Desentorpecendo a Razão) organiza o “Churrasco da Gente Diferenciada” na esquina das ruas Helvétia com a Dino Bueno; já no dia 25, aniversário de SP, entidades estão mobilizando uma passeata (ainda não há local definido para o ato).

O Conselho Regional de Psicologia de São Paulo (CRP SP) e o Conselho Federal de Psicologia repudiam a ação policial organizada pelo Estado no centro de SP. O CRP SP entende que uma verdadeira política de combate ao crack deve ser realizada de maneira intersetorial, envolvendo segurança pública, saúde e assistência social. Criminalizar os usuários de drogas, tratando-os como caso de polícia, não irá, de fato, resolver a questão. ”

Fonte

O Psicólogo no Sistema Prisional

Para você que não pôde participar do evento Roda de Conversa sobre Práticas de Psicologia em Segurança Pública e Sistema Prisional, aqui está uma ótima oportunidade para dar uma olhada no que perdeu ou rever, se tiver gostado.

Para assisti aos vídeos clique aqui ( parte 1 ) e aqui (parte 2).

Psicologia Online

“A relação sujeitos e máquinas, sem o contato humano, em um modelo de sociedade de controle atomizado e pulverizado interfere na visão de mundo, nas crenças e valores e até no próprio conceito de realidade.”

Portanto:  “Para discutir o tema, em especial os aspectos interdisciplinares presentes nos serviços psicológicos on line, conforme prevê a Resolução CFP nº 12/2005, o CFP promoverá, no dia 22 de novembro, das 9h às 14h, o Seminário: Serviços Psicológicos On line, transmitido via internet no site do CFP (www.cfp.org.br).

O evento terá início com a conferência de abertura “As diversas formas da psicologia: Psicoterapia online”, seguida pela mesa “Psicoterapia online: histórico no Brasil e no mundo” e pela conferência “Cibercultura, Novas Mídias e Produção de Subjetividade”.

Entre os participantes, estão a psicoterapeuta e coordenadora do Núcleo de Pesquisas da Psicologia em Informática (NPPI) na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Rosa Farah, a psicóloga colaboradora do NPPI, Luciana Ruffo, a psicóloga Maria Adelia Pieta, que estuda a relação terapêutica na Psicoterapia pela Internet e José Carlos Ribeiro, psicólogo e pesquisador associado aos Programas de Pós-graduação em Psicologia (UFBA) e em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA).”

Temas em discussão:

  • As Diversas Formas da Psicologia: Psicoterapia online
  • Psicoterapia Online: histórico no Brasil e no Mundo
  • Cibercultura, Novas Mídias e Produção de Subjetividade

Mais informações.

Avaliação Psicológica

 

Assista ao vídeo sobre o tema.

Áreas de Atuação Profissional

Quer mais informações sobre as áreas disponíveis e o que fazemos dentro delas?

Acesse.